Resgatando a Fenix 2

Prezados Amigos e Colegas,

Passados alguns dias do resgate dos trabalhadores da mina de San José no Chile e a emoção com a exploração de imagens a qual fomos submetidos, resta-nos analisar e entender as lições de toda essa operação bem sucedida e de seus desdobramentos.

Primeiro que as causas ou os fatos que antecederam ou levaram ao dito “acidente” são extremamente comuns a maioria das crises que vemos:

– Descaso de autoridades mesmo com inúmeros avisos de possíveis problemas;

– Falta de legislação e fiscalização;

– Ganhos ou exploração de trabalho sem nenhuma infraestrutura;

Já vimos essas mesmas causas, seja em áreas de risco como as minas de cobre, ouro ou até de carvão, ou em outras áreas de atuação tidas como ”mais controladas”, como obras ou construções, públicas ou privadas, aviação, navegação, transporte público, saúde e tantas outras;

No tratamento dos fatos, desde o início, é que as diferenças começaram a aparecer.

Embora essa mina de cobre e ouro do Chile fosse privada, mesmo que por concessão do governo, a condução e atuação do governo chileno, em posição sempre à frente dos acontecimentos e das câmeras, mesmo com a incerteza inicial do sucesso do resgate, fez toda a diferença e o grande exemplo a seguir de suas ações.

A presença constante do Ministro das Minas, Laurence Golborne, atuando como o Gerente da Crise e do Presidente Sebastián Piñera no contato com a imprensa internacional, mostraram a todo o mundo como conduzir e tirar proveito de uma crise.

Ou seja, a condução e a conclusão desse evento nos faz lembrar de alguns significados da palavra Crise:

– Oportunidade;

– Problema;

– Momento perigoso ou decisivo de um negócio;

É muito comum, infelizmente, que presidentes de empresas e de nações se escondam nesses momentos e, por vezes até torçam que o problema não seja levado a eles.

O Chile, através de seu governo, preparou e conduziu de maneira quase magistral esse processo.

Abriu as portas para ajuda externa, inclusive de empresas de outros países, para trabalhar juntos nas operações de resgate.

Executou 3 planos de resgate ao mesmo tempo, tentando com que os 3 dessem certo, sem perder tempo e diminuindo riscos de insucesso.

Preparou a recuperação física e mental dos 33 mineiros antes de sua saída, além de uma estrutura de atendimento no local, após a saída de cada um e um hospital próximo a área do acidente, com formas diferentes de transporte até o local.

Fez simulações de resgates, testou equipamentos diferentes, treinou e usou expertise de equipes distintas em diferentes situações de resgate, como a marinha, outros mineiros, a Nasa, etc.

Atendeu a imprensa de todo mundo, divulgando notícias e imagens direto do refúgio e dando entrevistas diariamente, usando a tecnologia e a exposição a seu favor, inclusive proporcionando alimentação e energia elétrica para todos, durante quase todo o período, mesmo no meio do deserto do Atacama.

Atendeu e acompanhou as famílias dos mineiros, convocou e envolveu a população de todo o País e aproveitou toda a divulgação gerada pelo evento para seu proveito político e comercial.

Por fim, ainda em meio ao resgate, divulgou o fechamento de minas similares a que estava a do acidente, para que esse evento não voltasse a acontecer.

Muito tem sido dito sobre o futuro desses 33 mineiros e de suas famílias.

Todos querem ganhar dinheiro em cima dessa história, inclusive os próprios mineiros, afinal talvez seja a única forma de não retornarem a trabalhar nas minas, pois não podemos esquecer que vivem em um deserto, onde não há mais nada a fazer.

O que todos esperamos é que a Fenix 2 não tenha recebido esse nome em vão e que além do resgate de 33 pessoas e de suas famílias, de uma região tão pobre, de um governo e até mesmo do País, que ela seja capaz de não ser esquecida e nos servir de exemplo a nossos próprios erros e crises, em nossas empresas ou em nosso País, quando ficarmos tão no escuro como estiveram esses homens pelos primeiros 17 dias sem saber se ainda não haviam desistido deles.

Agradeço a todos pelas contribuições no Blog e na web-site.

Um abraço a todos.

Luciano Martins Gehrke

gehrkeluciano@hotmail.com

http://www.gerenciamentodecrise.com.br/site

https://engenharianasaude.wordpress.com/

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: