Pesquisas e Invenções Espaciais Aplicadas na Área da Saúde

Prezados Amigos e Colegas,

Dia 20 de Julho, fez 40 anos que o astronauta americano Neil Armstrong pisou na Lua.

Por trás desse fato tão marcante, bilhões de dólares foram investidos para que esse primeiro passo fosse dado.

Em 1958, o presidente americano Dwight Eisenhower (1953-1961) assinou a Lei do Espaço, criando oficialmente a Agência Espacial Americana, a Nasa.

A lei estipulava que suas pesquisas e avanços deveriam beneficiar toda a população e, em seus 51 anos de história, a Nasa certamente preencheu esse requisito.

A Nasa registrou mais de 6.300 patentes com o governo americano [fonte: Nasa Scientific and Technical Information].

Muitos inventos importantes para nossa vida, inclusive na área da saúde, foram decorrentes desse investimento na corrida ao espaço.

Todos os anos, desde 1976, a Nasa vem publicando uma lista de toda tecnologia e produto ligado à sua pesquisa.

O jornal “Spinoff”, da Nasa, destaca esses produtos, que incluem coisas como marca passos melhorados, máquinas de exercícios e rádio satélite.

Comento alguns desses inventos, usados na área da saúde, em homenagem a data específica e a quanto pode ser feito em busca de uma meta que parecia impossível.

Certamente as coisas seriam muito diferentes sem o desenvolvimento de equipamentos e instrumentos para manter os astronautas e as naves no espaço.

Imagens Médicas:

A Nasa desenvolveu meios de processar os sinais que vinham das naves espaciais para produzir imagens mais claras.

Essa tecnologia também permite produzir imagens fotográficas de nossos órgãos, como as vistas em uma ressonância magnética ou em uma tomografia computadorizada.

Termômetro Infravermelho:

Medir a temperatura corporal, quando se está doente, pode ser um procedimento complicado, seja com termômetro de mercúrio ou termômetro retal.

Em 1991, os termômetros infravermelhos que você coloca no ouvido conquistaram o mundo ao simplificar o processo de medir a temperatura de uma pessoa – principalmente de crianças e bebês.

A Diatek, que desenvolveu o primeiro desses tipos de termômetros, viu a necessidade de reduzir o tempo gasto pelas enfermeiras medindo temperatura dos pacientes.

Com cerca de 1 bilhão de temperaturas medidas nos hospitais americanos anualmente e um número de enfermeiras cada vez menor, a empresa se viu obrigada a começar a cortar os preciosos minutos gastos na observação da subida do mercúrio [fonte: NASA Science and Technical Information] do termômetro tradicional.

Em vez disso, a Diatek tirou vantagem dos avanços anteriores da Nasa na medição da temperatura de estrelas com a tecnologia de infravermelho.

 Junto com o Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL), a empresa inventou um sensor infravermelho que serve como termômetro.

Os termômetros auriculares medem nossa temperatura medindo a quantidade de energia que o tímpano desprende dentro do canal do ouvido.

Os modelos para hospital podem medir a temperatura em menos de dois segundos.

Lentes para Óculos:

Em 1972, a vigilância sanitária dos EUA (Food and Drug Administration) começou a exigir que os fabricantes usassem plástico em vez de vidro para fazer lentes de óculos.

O plástico é mais barato de usar, melhor na absorção de radiação ultravioleta, mais leve e não estilhaça [fonte: Space Technology Hall of Fame].

Contudo, plásticos desprotegidos tendem a arranhar facilmente e lentes arranhadas podem danificar a vista do usuário.

A sujeira e as partículas, encontradas nos ambientes espaciais, levou a Nasa a desenvolver um revestimento para proteger os equipamentos no espaço, particularmente os visores dos capacetes dos astronautas.

Reconhecendo ali uma oportunidade, a Foster-Grant, fabricante americana de óculos de sol licenciou a tecnologia da Nasa para seus produtos.

A cobertura especial para plásticos tornou seus óculos escuros dez vezes mais resistentes a arranhões do que os de plástico não revestido [fonte: Space Technology Hall of Fame].

Além disso, ela bloqueia os raios ultravioletas que podem prejudicar a visão.

Exame de Visão:

O exame diagnóstico de visão, em que o médico nos pede para ler as letras de diversos tamanhos de um cartaz colado na parede a alguns metros de distância de nós, usa técnicas desenvolvidas pela Nasa para processar imagens espaciais e encontrar rapidamente algum defeito.

Aparelho Ortodôntico:

Ter os dentes em ordem costumava significar encher a boca de metal.

Aparelhos ortodônticos invisíveis chegaram ao mercado em 1987 e agora existem várias marcas.

Os aparelhos ortodônticos invisíveis são feitos de alumina translúcida policristalina (TPA).

Uma empresa chamada Ceradyne desenvolveu a TPA em conjunto com a unidade de pesquisas de cerâmica avançada da Nasa (Nasa Advanced Ceramic Research) para proteger as antenas infravermelhas dos rastreadores de mísseis termoguiados.

Espuma de Poliuretano de Alta Resistência:

A espuma Tempur, encontrada em várias marcas de colchões, travesseiros e almofadas foi desenvolvida originalmente para vôos espaciais e, mais tarde, para uso doméstico.

O plástico de silício-poliuretânico de célula aberta (espuma de poliuretano de alta resistência), que ficou conhecido como espuma espacial, foi criado para uso nos assentos das espaçonaves da Nasa com a finalidade de diminuir o impacto durante os pousos.

Os médicos podem moldar a espuma para suportar pacientes, enquanto reduzem a pressão de certas partes do corpo para evitar escaras, por exemplo.

Algumas empresas também integraram a espuma Tempur a próteses de braços e pernas, porque ela tem a mesma aparência e comportamento da pele, diminuindo a fricção entre a prótese e as juntas.

Ferramentas Sem Fio:

Quando você está aspirando a poeira com um aspirador sem fio, na verdade você está usando a mesma tecnologia que os astronautas usaram na lua.

Embora a Black & Decker tenha inventado as primeiras ferramentas à pilha em 1961, a pesquisa relacionada da Nasa ajudou a redefinir a tecnologia que levou a instrumentos médicos leves e sem fio, aspiradores de pó e outras ferramentas.

Filtro para Água:

Os astronautas precisavam de uma maneira de limpar a água que eles levavam para o espaço, já que bactérias e doenças seriam altamente problemáticas.

A tecnologia de filtrar água já existia desde o começo dos anos 50, mas a Nasa queria limpar a água em situações mais extremas e mantê-la limpa por períodos mais longos de tempo. Para isso, usou blocos de carvão vegetal.

Esse carvão é especialmente ativado e contém íons de prata que neutralizam patógenos na água e previnem o crescimento de mais bactérias.

As empresas emprestaram essa tecnologia espacial para nos trazer os sistemas de água filtrada usados por milhões de pessoas em todo o mundo.

Além desses, podemos citar o desenvolvimento dos monitores de sinais vitais à distância, as fraldas infantis descartáveis ou o código de barras, que simplificou o comércio e que foi uma invenção da NASA, para identificar os milhares de peças de suas naves, que são muito utilizados nos materiais e medicamentos.

Há muitas outras invenções em diversos campos de estudo, decorrentes da corrida espacial, que produziram influências significativas na Área da Saúde, sejam eles em Comunicação via Satélite, Segurança, Alimentos Desidratados, Materiais e Roupas Especiais e Softwares.

Agradeço a todos pelos comentários no Blog e na Web-site.

Luciano Martins Gehrke

gehrkeluciano@hotmail.com

http://www.gerenciamentodecrise.com.br

http://engenharianasaude.wordpress.com

About these ads

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: